Merck recebe aval da OMS para iniciar venda de vacina contra Ebola

Valor Econômico - por Assis Moreira.
13/11/2019.

O grupo farmacêutico americano Merck recebeu a aprovação da Comissão Europeia (UE) para a comercialização de sua vacina contra a febre hemorrágica Ebola. A doença foi declarada em julho uma emergência de saúde pública de interesse internacional. A vacina Ervebo foi aprovada para pessoas a partir de 18 anos e já vinha sendo utilizada em situação de emergência, antes de sua autorização, para evitar a propagação da doença a partir da República Democrática do Congo.

A Merck trabalha agora com a OMS para a entidade dar nos próximos dias a pré-qualificação à vacina. É um processo na qual a OMS avalia a vacina e outros procedimentos médicos, para assegurar aos países membros que são seguros e efetivos.

A expectativa é de que a produção da Merck, em Burgwedel, Alemanha, esteja disponível no mercado mais amplamente no ano que vem. A companhia disse que ainda não estabeleceu um preço para o Ervebo, mas assumiu o compromisso de disponibilizar a vacina para os países. elegíveis para compra de assistência através da Gavi, a Vaccine Alliance, pelo menor preço possível.

Para a OMS, isso “mudará a situação globalmente”, permitindo o acesso acelerado da vacina para outros países em desenvolvimento. A expectativa é de que as autoridades reguladoras dos EUA tomem sua decisão sobre a vacina no primeiro trimestre de 2020.

Desde meados de 2018, a febre Ebola fez mais de 2.100 mortos na República Democrática do Congo. A OMS declarou situação de emergência em julho, classificação que só é utilizada para epidemias mais graves, que podem se espalhar para outros países.

Na noite desta terça-feira, a OMS anunciou a pré-qualificação da vacina contra o Ebola, uma etapa crítica que ajudará a acelerar seu licenciamento, acesso e distribuição nos países com maior risco de surtos da epidemia. Conforme a instituição, foi o processo mais rápido de pré-qualificação de vacina já realizado pela OMS. Pré-qualificação significa que a vacina atende aos padrões da OMS para qualidade, segurança e eficácia.